Fatores que interferem em um projeto fotovoltaico

Fatores que interferem em um projeto fotovoltaico

Fatores que interferem em um projeto fotovoltaico - Ilustração por Sophia Lapertosa

Todo projeto fotovoltaico é único o que torna o processo de fazer orçamento de um sistema fotovoltaico particularmente cheio de detalhes. Os principais fatores que interferem em um projeto fotovoltaico são avaliados neste post.

Para o consumidor de energia elétrica comum, o desconhecimento sobre os fatores que devem ser considerados para um projeto fotovoltaico pode resultar na escolha de uma usina fotovoltaica que diverge de seu cenário de atuação de duas formas:

  1. Usina superdimensionada: irá gerar muitos créditos energéticos e sob este aspecto é uma boa coisa, visto que o excesso de créditos energéticos pode ser aproveitado de algumas formas como mostramos aqui. Porém, uma usina solar fotovoltaica que produza mais créditos energéticos que sua unidade consumidora é capaz de consumir em 5 anos, conforme regulamentação vigente, irá ao final doar energia para a rede distribuidora, além do consumo de recursos financeiros de forma ineficiente.
  2. Usina subdimensionada: irá gerar quantidade de energia inferior àquela consumida na unidade consumidora, representando um percentual de economia na conta de luz mas que se distancia dos até 95% de economia na conta de luz que um sistema fotovoltaico pode trazer. Esse deslize é comum quando se busca o menor preço a qualquer custo.

Fatores que interferem em um projeto fotovoltaico

Para ajudar nossos clientes e consumidores de energia elétrica em geral a fazer boas escolhas na hora de instalar um sistema fotovoltaico, fizemos este apanhado com os principais fatores que interferem em um projeto fotovoltaico.

Classe de Consumo

A classe de consumo vem descrita em sua conta de luz e é de vital importância para o projeto fotovoltaico, já que existem inversores de frequência específicos para redes monofásicas, bifásicas e trifásicas. Além de especificar o tipo de inversor do projeto, a classe de consumo determina qual será a taxa mínima a ser paga para a distribuidora de energia. Caso a rede seja monofásica, o consumidor pagará uma taxa mínima de consumo equivalente a 30 kWh. Nos casos de rede bifásica a tarifa mínima é de 50 kWh e nos casos em que a rede é trifásica a tarifa é equivalente ao consumo de 100 kWh.

Portanto, ao dimensionar um sistema fotovoltaico, é importante calcular a energia compensável da unidade consumidora. O cálculo da energia compensável é simples de ser feito e segue a seguinte fórmula:

Energia Compensável = Quantidade Energia Consumida no Mês – tarifa mínima (30 monofásico, 50 bifásico, 100 trifásico) . Suponha uma residência que consome 200 kWh mês e possui rede bifásica. O sistema fotovoltaico a ser gerado deverá gerar 150 kWh mês em média para oferecer a melhor relação custo benefício ao consumidor.

Direcionamento do telhado ou desvio azimutal

O desvio ou ângulo azimutal refere-se ao azimute solar. Para os residentes do hemisfério sul apontamos para o norte geográfico. Um sistema fotovoltaico apontado para o norte apresenta o melhor desempenho de geração pois acompanha a maior disponibilidade de luz no decorrer no dia. Portanto, avaliar o desvio azimutal do telhado ou local de instalação do sistema fotovoltaico pode ser feito usando uma bússola neste local. A partir da medição da bússola é possível marcar este desvio em graus podendo variar entre 180º O e  180º L .

O projetista fotovoltaico considera portanto este desvio em programas especializados para desenvolvimento de projetos SFCR ajustando a quantidade de placas fotovoltaicas quando necessário.

As estruturas de fixação dos painéis fotovoltaicos representam parte expressiva dos custos de um sistema fotovoltaico e, de modo geral, é mais barato instalar o sistema já aproveitando a estrutura de telhado existente e fazer a compensação do desvio azimutal em cima do número de placas.

Você pode se aprofundar no assunto aqui.

 Inclinação do telhado

Assim como no caso acima, a inclinação em relação ao sol tem considerável diferença na hora de se projetar um sistema fotovoltaico. As células fotovoltaicas comerciais estão envoltas em uma moldura de alumínio e vidro e aproveitam o espectro da luz que passa através do seu vidro de proteção.

A inclinação ideal de um sistema fotovoltaico é calculada com base na latitude do local de instalação, o que acarreta em uma inclinação ideal comum a você e seus vizinhos. Como aproximação para sistemas fotovoltaicos ongrid pode-se considerar a latitude do local menos 1 grau (º), mas lembre-se que aproximações não são o cenário ideal para um projeto fotovoltaico.

Quando instalado em um telhado, as placas fotovoltaicas aproveitam a inclinação deste telhado. A inclinação deste pode ser medida através de aplicativos de smartphones, bem como avaliada a partir das plantas de projeto do imóvel.

Horas de Sol Pico

HSP ou horas sol pico refere-se a quantas horas por dia o sol é capaz de proporcionar o pico de produção do sistema fotovoltaico. Um gráfico de horas de sol pico têm o formato de sino. Este mesmo formato de gráfico percebido ao medir a geração de um sistema fotovoltaico, comprovando portanto a importância desta variável dentre os fatores que interferem em um projeto fotovoltaico.

Existem bases de dados para fornecer com precisão o valor HSP de uma determinada coordenada geográfica, no entanto, estes valores geralmente são encontrados em formas de tabela. Como exemplo podemos citar João Monlevade MG com 4,8 horas de sol pico em média por dia.

Mapa Mundi da Disponibilidade de Energia Solar - Fatores que interferem em um projeto fotovoltaico | OAK Energia

Sombreamento

Um dos fatores que mais interfere em um projeto fotovoltaico é o sombreamento. O sombreamento sobre as placas fotovoltaicas limita muito a produção de energia elétrica da usina como um todo. Isto é agravado quanto maior a usina em questão. Visto que a potência de produção de energia elétrica total será igual a potência na área de menor incidência solar. Portanto, é de primordial importância avaliar ao longo de diferentes estações do ano se o local onde pretende instalar o sistema fotovoltaico não recebe nenhum tipo de sombreamento.

Conclusões

Os fatores supracitados devem ser considerados na elaboração de um projeto de usina fotovoltaica conectada a rede. Como benefício a observância destes critérios terá um sistema projetado de forma eficiente e sob medida para seu caso.

Há ainda diversos fatores secundário que também interferem no orçamento  como dimensionamento de cabos, tipo de telhado, etc. Estes ficam para uma outra postagem.

Portanto, escolher bons fornecedores e avaliar cuidadosamente as soluções disponíveis no mercado certamente te economizarão dinheiro e trarão bons resultados de produção de energia elétrica. Esta é a especialidade da OAK Energia, comparamos diferentes projetos de fornecedores de competência atestada para te entregar a melhor solução para o seu problema. Solicite seu orçamento e aproveite o sol!